Reinaugurar móveis e objetos é divertido!

Reinaugurar móveis e objetos é divertido!
Reinaugurar móveis e objetos é divertido!

Exercite-se na reinauguração de objetos, você vai gostar!

Sabe aquela mesa que tinha lá na casa da sua avó e que você aproveitava o lanche em todas as tardes das suas férias? Ela não precisa ficar só na sua lembrança. Com um pouco de tinta e muita atenção no olhar, você pode dar uma segunda chance para móveis e objetos continuarem na sua história e, de quebra, praticar um consumo mais consciente ao reinaugurar móveis.

Primeiro você precisa pensar no espaço disponível e qual item teria mais importante função/decoração para esse espaço. Com essa resposta você deve analisar dentre os objetos que já tem, se algum atende à função desejada.

Se a resposta for sim, procure referências (revistas, internet, etc) de transformações de objetos semelhantes ao seu e mãos à obra! Caso não tenha muita técnica ou paciência para a reforma, procure por profissionais que o façam. Você ainda vai ter uma peça exclusiva e sem investir muito.

E mesmo que não tenha o objeto certo (pode acontecer!), pense onde você poderia encontrar a peça sem uso (mais barata ou doada) e começar a imaginar como gostaria de vê-la.

Parece complicado reinaugurar móveis, mas não é e você encontrará soluções bem mais pessoais (e legais!) para a sua decoração. Tem muita gente que você conhece com aquela cadeira dos seus sonhos parada na garagem prontinha para ser reinaugurada em grande estilo. O que vale, neste caso, é muito mais um exercício de observação da necessidade do que propriamente um apurado gosto estético por essa ou aquela escola de design. E sem levar em conta que é muito divertido saber que você poderá ter, por exemplo, toda a cartela de cores disponível no mercado para escolher a que mais gostar!

Parece complicado, mas não é e você encontrará soluções bem mais pessoais.

Ao praticar estes exercícios mentais com frequência, é possível ver utilidade em muitas coisas que estão descartadas ao reinaugurar móveis. É como se você criasse um “banco de ideias” para os mais variados objetos e, com isso, não perderá a oportunidade de aproveitar as “ofertas” que encontramos em caçambas ou mesmo naquela faxina da garagem do vizinho!

Mas, como eu sei isso? Bom, vou contar um pouco da minha história com a prática de reinaugurar móveis e objetos e de como essa prática de repensar utilidades e funções dos objetos invadiu a minha vida!

Quando reformei minha casa, o baixo orçamento e a vontade de decorar com autenticidade me motivaram a buscar várias soluções com reutilização. Com a ajuda da internet e de revistas, coloquei sonhos de decoração em prática. Foi meu primeiro laboratório para minhas experiências e me permitiu ter meu canto com toque bem mais pessoal sem gastar fortunas. E por essas experiências inusitadas, recebi um grande incentivo dos amigos para divulgar minhas ideias. Surgia aí um blog de decoração e um motivo a mais para continuar a me exercitar nas reinaugurações, atividade que virou hobby aos finais de semana.

O baixo orçamento e a vontade de decorar com autenticidade me motivaram a buscar várias soluções com reutilização.

Acontece que esse trabalho é muito compensador. Vejo nele uma função social mais clara do que na minha antiga profissão e tenho um prazer imenso em reinaugurar itens com novas cores e materiais. E a verdade é que, nesta altura, a publicidade não me deixava com muito tempo livre e resolvi que era hora de transformar meu passatempo em profissão. Assim nascia o Estúdio Lixa.

O Estúdio Lixa trabalha na reforma, customização e reutilização de objetos que estavam sem uso ou que seriam descartados.

A lixa é o começo de todo o processo. Este material abrasivo é sempre o primeiro passo para repaginar ou dar nova função em qualquer peça que esteja por aqui.

E depois dela entram em ação a cor, os detalhes, as estampas e toda a mudança necessária para que um objeto seja devidamente reinaugurado.

E para dividir todos esses projetos, dar dicas de faça você mesmo (DIY), ter um espaço de interação com o leitor e um canal de vendas/encomendas, eu criei o site da marca (www.estudiolixa.com.br) além da fanpage no Facebook: Estúdio Lixa.

Minha história com as reinaugurações é a prova de que ninguém precisa ser super criativo ou ainda ter longa formação teórica em design para sair por aí dando uma segunda chance para as coisas. Acho que a necessidade vem antes da criatividade, neste caso! E se a sua desculpa para não reutilizar peças era a falta de criatividade, já vou logo avisando que o exercício mental constante é muito mais importante aqui do que a ideia mirabolante em si! Portanto, pratique!

Ninguém precisa ser super criativo ou ainda ter longa formação teórica em design para sair por aí dando uma segunda chance para as coisas.

E para os que dizem que reutilizar itens é só uma tendência ou ainda uma consciência ambiental tardia, acho que vale pensar que quando um objeto é produzido, ele carrega o consumo de recursos naturais, a dedicação de outros seres humanos, os gastos de energia e de água até chegar às mãos do usuário.

Eu gostaria sinceramente de viver um tempo em que mais que uma tendência ou apenas a preocupação com a natureza, reinaugurar itens no nosso dia a dia fosse um resgate do nosso sentido de coletivo, da importância do trabalho manual, de um pouco mais de preservação da história e de menos relações de descarte nas nossas vidas.

Espero que você passe a fazer suas refeições na mesa onde lanchava na infância e que isso te motive a reinaugurar móveis por aí!

Opt In Image
Saiba sempre quando houver um novo texto!

Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado com novos artigos que buscam melhorar as nossas vidas. Seu email jamais será divulgado. É prático, eficiente e seguro!