Qual é o seu foco de vida?


Não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe aonde ir.

Há uma frase de Sêneca que diz: “Não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe aonde ir”. Utilizo muito essa frase com pessoas que vêm até mim pedir ajuda, pedir um conselho, ou apenas para desabafar. Muitos de seus anseios ou de suas angústias estão diretamente ligados ao fato de não saberem aonde realmente querem chegar em suas vidas.

Desde que começa a nossa educação, seja em casa ou na escola, vamos aprendendo que devemos escolher uma profissão que nem fulano, devemos ter um estilo de vida que nem beltrano, devemos ter os bens materiais como o ciclano e assim por diante. Vamos crescendo mirando ser alguém, um modelo, um exemplo. Ou seja, externamente, nossa vida vai sendo moldada pouco a pouco, seja pelos nossos pais, seja pela sociedade, seja até por nós mesmos, de acordo com um “ideal” previamente programado.

Mas o que pouco ou raramente acontece é essa educação e essa programação vir puramente e essencialmente de dentro, desenvolvendo nosso foco de vida. Quem realmente desejamos ser? Aonde realmente queremos chegar? Com o quê nosso coração vibra ao pensarmos em objetivos e metas? E, então, tudo parece utópico demais e vamos deixando passar, vamos seguindo a “maré”, e nosso futuro se torna o padrão estipulado pelo o que é socialmente aceito e almejado.

Muitos de nossos desejos e sonhos vão sendo mascarados por simplesmente não termos a coragem de assumir o que realmente queremos.

E nesse percurso surgem as frustrações, as tristezas, os vazios no peito e não sabemos exatamente de onde vêm tudo isso, onde começou, quem começou e por quê. Muitos de nossos desejos e sonhos vão sendo mascarados, muitas vezes por nós mesmos, por simplesmente não termos a coragem de assumir o que realmente queremos, com receio de julgamentos de terceiros ao nosso redor, corroendo nosso foco de vida. Com isso, nossos objetivos, quem queremos ser e aonde queremos chegar, perdem-se no meio do caminho, vão ficando embaçados, sem formas definidas.

E aí a vida parece perder o sentido, tudo fica estagnado, nada dá certo, qualquer coisa que escolhemos não nos dá prazer. Tudo fica sem sentido e, aos poucos, os dias ficam cinzas, robóticos e caóticos. De repente, percebemos que nos perdemos em meio à nossa própria vida, perdemo-nos em nós mesmos. E, então, sem nos darmos conta de onde tudo começou e por que, vamos pensando que o cara lá de cima resolveu sacanear conosco e tudo se torna muito injusto aos nossos olhos.

Porém, nesses momentos, culpar os outros ou a Deus é a atitude mais errada que optamos por assumir. Como diz a frase lá do início, para quem não sabe aonde quer chegar, como os ventos podem ser favoráveis? Será que a culpa realmente é de outra pessoa, ou de Deus, se sempre fomos definindo a nossa vida de acordo com o que os outros aceitariam, sem nem ao menos sermos verdadeiros com o próprio coração, com a nossa própria essência? Onde está nosso foco de vida?

Não há problema em sermos quem realmente gostaríamos de ser.

O que é importante entender é que não há problema em sermos quem realmente gostaríamos de ser. Não há problema, também, em mudarmos de ideia se, caso chegarmos à metade do caminho, percebermos que não era bem este lugar aonde gostaríamos de ter alcançado. A vida é feita de ciclos, de evolução, o tempo muda, as pessoas mudam, por que então as nossas ideias, os nossos sonhos, não podem mudar?

“Fiz faculdade de Engenharia, mas agora meu sonho é vender hambúrguer gourmet em um foodtruck”. E por que não? Quem disse que, ao escolhermos um destino, devemos nos manter a ele até o fim de nossos dias? Aonde isso está escrito? Acredito que nossas escolhas vão formando a pessoa que somos e não existe caminho errado, além de que nada é em vão. A pessoa que fez Engenharia pode, ao planejar e pensar no seu novo local de trabalho, utilizar seus conhecimentos da faculdade para montar um bonito e funcional espaço para a venda dos alimentos, por exemplo.

Acredito que a vida é muito curta para não fazermos aquilo que faz o nosso coração vibrar, nossa alma sorrir e nossos dias ficarem mais leves e coloridos. Na esmagadora maioria das vezes, o mais importante é o caminho percorrido e não o destino final. É neste caminhar que vamos ganhando experiências, mudanças de visões, adequações de ações e pensamentos. É neste caminhar que vamos ganhando e perdendo parceiros de jornada, que nos deixam marcas essenciais para se tornarem inesquecíveis e contribuírem para a pessoa que somos. É neste caminhar que vamos conhecendo verdadeiramente os caminhos para, então, escolhermos qual o mais adequado para nós.

Todas as respostas de perguntas que podem surgir estão em um único lugar: dentro da gente.

Porém, por mais que possamos nos identificar com tudo isso que foi abordado acima, muitas vezes estamos tão mergulhados nessas programações padronizadas que não sabemos como encontrar, em nossa essência, nossos verdadeiros sonhos e desejos. Como encontrar aquilo que realmente quero ser e fazer da minha vida? Como me encontrar? Todas as respostas de perguntas que podem surgir estão em um único lugar: dentro da gente. E, para isso, é preciso autoconhecimento.

Autoconhecimento exige que mergulhemos em nós mesmos para descobrirmos tudo o que há lá dentro, o que está escondido e o que está mal cuidado. É aprendermos a nos conectar conosco mesmo de modo a conhecer todas as nossas sensações, nossas reações, no que pensamos e por que pensamos. Tudo isso sem medo de julgamentos, sejam dos outros, sejam de nós mesmos (muitas vezes, somos nossos maiores julgadores). Só então, quando estivermos mais familiarizados com a nossa essência, é que conseguiremos escutar o nosso coração e saber identificar o que realmente queremos, aonde queremos chegar.

Para isso, há diversas opções que podem auxiliar a quem busca seus objetivos, seu sentido de vida acima de tudo. Pode-se optar por fazer uma terapia, escolhendo o tipo de profissional que te fizer se sentir melhor; pode-se praticar a meditação, seja só ou em grupo; pode-se buscar grupos de estudos ou palestras que contribuam com conhecimentos importantes para mostrar e ensinar o caminho; pode-se colocar tudo, ideias que forem surgindo, em um papel e delinear um planejamento da sua vida; e várias outras formas de procurar o melhor para si.

Afinal, para quem sabe aonde quer chegar, todos os ventos são favoráveis. Por isso, caso você não saiba ainda qual o seu verdadeiro objetivo, mas quer muito chegar lá, o caminho já começa a existir e alcançar o destino é só uma questão de tempo e esforço pessoal.

Opt In Image
Saiba sempre quando houver um novo texto!

Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado com novos artigos que buscam melhorar as nossas vidas. Seu email jamais será divulgado. É prático, eficiente e seguro!


  • Pingback: Qual é o seu foco de vida? | Re(IN)formando()