Como Evitar a Procrastinação e Melhorar a Produtividade?


Procrastinar é a arte de arranjar desculpas, empecilhos ou distrações para não realizar uma atividade naquele momento, adiando alguns minutos, horas ou, até, dias.

Procrastinar é o verbo dos tempos atuais. Com tantos recursos tecnológicos que facilmente nos distraem, em algum momento da semana, ou até mesmo do dia, iremos procrastinar. Ouso em dizer que todo mundo, alguma vez, já procrastinou. Há quem transforme a procrastinação em atividade primordial do dia, há quem a utilize em determinados momentos. O fato é que a procrastinação tem se tornado inimiga do equilíbrio emocional e, consequentemente, da produtividade diária.

Antes de continuar, vamos contextualizar um pouco: conforme podemos encontrar no dicionário, o verbo procrastinar significa adiar, deixar alguma coisa para depois. Isto é, procrastinar é a arte de arranjar desculpas, empecilhos ou distrações para não realizar uma atividade naquele momento, adiando alguns minutos, horas ou, até, dias. Em suma, procrastinação consiste em prorrogar algo que deveria ser feito naquele dado momento.

Quando temos que fazer algo que realmente gostamos, não procrastinamos. Portanto, a procrastinação está estritamente ligada com algo que temos “obrigação” em fazer e, então, surge a dúvida: por que temos problemas em lidar com o que é nosso dever?

Atualmente, não é preciso de muito para nos distrair e facilitar a procrastinação. É uma mensagem no whatsapp, uma postagem no Facebook, um programa que vai começar na televisão, um 3º ou 5º café que podemos tomar na empresa, e por aí vai. Qualquer coisa se torna mais interessante ou urgente para nós do que a tarefa que temos que finalizar naquele momento. Melhor dizendo, qualquer coisa que seja nosso dever, pois quando temos que fazer algo que realmente gostamos, não procrastinamos. Portanto, a procrastinação está estritamente ligada com algo que temos “obrigação” em fazer e, então, surge a dúvida: por que temos problemas em lidar com o que é nosso dever?

Contextualizando mais um pouco, a procrastinação é diferente de preguiça, embora possam estar interligadas. Preguiça é a falta de vontade de fazer algo, uma atividade, uma tarefa. Já a procrastinação é um estado de adiamento inconsciente e irracional de uma ação, pois o procrastinador quer terminar a tarefa, mas por alguma razão não consegue. A preguiça acontece quando não temos vontade fazer algo que não seja realmente necessário, e a procrastinação é o adiamento de algo que devemos fazer.

O problema de tudo isso é que a procrastinação acaba por trazer prejuízos em nossos estados mentais e emocionais, interferindo em nosso bem estar e, principalmente, interferindo em nossa produtividade, em nossos compromissos e deveres. Sendo assim, a procrastinação pode acarretar em uma série de problemas em nossas carreiras, trabalhos ou relacionamentos, afetando, inclusive, a nossa imagem pessoal. Uma pessoa que procrastina demais pode acabar sendo taxada de incompetente ou preguiçosa.

Os procrastinadores acabam por viver com culpas, tensões, estresses, ansiedade e baixa autoestima por não ter controle sobre a realização de suas próprias tarefas, principalmente quando o ato de procrastinar se torna consciente.

Porém, o pior transtorno que a procrastinação provoca é em nosso equilíbrio emocional e mental. Os procrastinadores acabam por viver com culpas, tensões, estresses, ansiedade e baixa autoestima por não ter controle sobre a realização de suas próprias tarefas, principalmente quando o ato de procrastinar se torna consciente, isto é, a pessoa sabe que está procrastinando e não consegue reverter esse quadro. A procrastinação bagunça tudo: a nossa agenda de compromissos, nossos prazos, nossos pensamentos e emoções, gerando falta de foco e concentração, o que contribui ainda mais para o nervosismo e preocupação.

Segundo especialistas, os principais motivos que levam as pessoas a adiarem as suas tarefas são: falta de confiança, isto é, insegurança sobre a própria capacidade de realizar a atividade; falta de motivação e interesse naquela tarefa; ou distrações provocadas pelo exterior. Portanto, após essas considerações, podemos entender que a procrastinação é algo sério e deve ser investigada, uma vez que ela possui uma raiz que pode estar relacionada a problemas psicológicos e emocionais, que devem ser tratados, para uma melhor qualidade de vida.

Com isso, a principal atitude a se tomar em relação a procrastinação é responder a esta pergunta: Por que eu quero procrastinar?

Abaixo, listamos algumas dicas que podem auxiliá-lo a melhorar e, até, combater o seu problema de procrastinação:

Questione-se

Partindo da pergunta feita logo acima, a procrastinação, antes de tudo, deve ser entendida e investigada. Por que procrastino? Por que não consigo realizar as minhas tarefas quando elas devem ser feitas? Por que encontro outras coisas mais importantes a fazer do que o meu trabalho? Por que estou perdendo interesse em realizar minhas obrigações e arranjo motivos para adiá-las? Analise todas as vezes que você já procrastinou, elas com certeza possuem um padrão bem similar, uma raiz, uma origem específica. Por exemplo: no seu trabalho, quando você procrastina, será que não é falta de confiança no que você faz? Será que não é insegurança em relação a sua capacidade? Ou será que aquele trabalho não te faz mais feliz, não te realiza? Se a resposta for sim a qualquer uma dessas perguntas, é hora de avaliar uma mudança em sua vida, uma mudança de atitudes e, até, de atividades.

Faça um cronograma de atividades, definindo prazos e metas

É primordial, para evitar a procrastinação, ter bem definido o que é prioridade e quais são os prazos que as tarefas devem ser entregues. Tenha sempre consigo uma agenda ou uma tabela de todas as suas atividades e quando elas deverão ser finalizadas. Acima de tudo, defina metas para o seu dia, montando um cronograma de atividades. Por exemplo: “se um trabalho deve ser entregue na sexta-feira, posso dedicar 15 minutinhos por dia para ele, assim faço de forma calma e tranquila, me sobrando mais tempo para outras atividades. Esses 15 minutinhos serão na parte da manhã, que é quando tenho maior produtividade”.

Conheça suas capacidades e seu ritmo

Cada pessoa é diferente. Cada um possui o seu modo de fazer as coisas, a sua capacidade, o seu ritmo de trabalho. Tem pessoas que rendem mais pela manhã, outras pela noite. Tem pessoas que conseguem ficar duas horas focadas em uma mesma tarefa, outras não. Muito do nervosismo e estresse que a procrastinação origina é devido a pessoa ficar se comparando a outras, preocupando-se muito com o que os outros já cumpriram, esquecendo-se de si mesmo. Portanto, foque mais em você e se conheça mais. Saiba quais são as suas capacidades e qual é o seu verdadeiro ritmo e se adapte a ele. Se você rende mais pela manhã, programe o maior número de atividades neste turno, deixando os outros mais liberados para que a quantidade de trabalho seja menor.

Estabeleça a técnica do antídoto

Para tudo que fazemos, há um oposto. A técnica do antídoto consiste em pensarmos no oposto de algo que não gostamos de fazer, em algo que queremos mudar em nós. Portanto, qual é o antídoto da procrastinação? A pró-atividade, isto é, fazer as coisas com agilidade e disposição. Bateu a vontade de adiar algo? Pense logo: qual é o oposto de adiar? Fazer logo! Então se comprometa a realizar as suas tarefas quando é a hora de realizá-las. Quando chegar o momento de fazer um trabalho, não dê tempo para a procrastinação chegar. Utilize o melhor da impulsividade e termine o que é necessário. Assim, você estará criando um antídoto para o hábito de procrastinar, eliminando-o e instaurando outro hábito: o da pro-atividade e produtividade.

Os padrões negativos, que nos atrapalham, nós mesmos criamos. Portanto, cuide de suas emoções, seus pensamentos e policie-se: tenha o hábito de disciplinar-se e realizar aquilo que é seu dever.

Opt In Image
Saiba sempre quando houver um novo texto!

Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado com novos artigos que buscam melhorar as nossas vidas. Seu email jamais será divulgado. É prático, eficiente e seguro!


  • Gabriel Costa

    Aproveitando o assunto, a quem interessar, um teste para identificar seu tipo de procrastinador:

    http://www.playbuzz.com/sidartal10/que-tipo-de-procrastinador-voc

    identificar o motivo que te leva a procrastinar pode ajudar a lidar com o problema. É baseado no livro de uma psicóloga chamada Linda Sapadin (“It’s About Time!: The Six Styles of Procrastination and How to Overcome Them”, Penguin Books, 1997).

  • Gabriela Pagliuca

    Ótimo!!!

  • Smoke da vida

    Olha, eu achei um Cu de ruim