Mindfulness
Foto por Max Rovensky no Unsplash

Mindfulness: Um Caminho Para o Autoconhecimento

Mindfulness: Um Caminho Para o Autoconhecimento
Artigo escrito por Letícia Rodrigues

Todas as formas de se auto descobrir são focos de meu interesse desde que escolhi me formar em Psicologia.

Durante os anos da universidade, percebi pouco a pouco que as diferentes técnicas aprendidas, como testes psicológicos, aulas de interpessoal, psicoterapia e o próprio convívio diário com colegas, pacientes e professores eram oportunidades de me conhecer cada dia mais e mais.

Este processo é contínuo para mim e ainda continuo descobrindo algo novo sobre quem sou.

A meditação surgiu assim em minha vida. Após períodos de intensa ansiedade, comecei a ler sobre o assunto e a me aprofundar nas pesquisas.

Assim, meu interesse surgiu primeiramente como paciente a procura de um alívio para pensamentos e sensações de extrema angústia que vivi nesse período ansioso.

Dentre diversos tipos de meditação que encontrei, entrei em contato com uma prática que propunha acalmar os pensamentos através da atenção plena no momento presente: a meditação  Mindfulness.

Mindfulness pode significar atenção total, atenção plena. Para mim, em português, a melhor interpretação de sentido para este termo seria “foco”.

A proposta é que você se aproxime o máximo possível da experiência consciente que vivencia no momento presente.

Diferentemente de outras técnicas de meditação, que buscam esvaziar a mente, a proposta inicial é que você acolha tudo o que fizer parte de sua experiência naquele momento.

O objetivo é utilizar a respiração como forma de âncora para se manter no presente. As suas  sensações corporais, como frio, calor, formigamento ou qualquer outra, também servem de  âncoras  que auxiliam a manter o foco.

O convite é para praticar apenas a observação dos pensamentos que surgirem sem se apegar a nenhum deles.

É simplesmente prestar atenção na maneira como eles surgem e depois se desfazem sem que haja um controle. A mente está habituada a passar de pensamento em pensamento e isso nos distrai.

Outra questão é que ao alimentarmos esses pensamentos, acabamos sempre indo parar em devaneios que vão do passado ao futuro, que podem trazer felicidade, mas também inquietação, medo, angústia e é aí que a coisa aperta.

Manter-se focado na respiração é o começo da caminhada em direção ao foco e a paz, porque aquele turbilhão de ideias começa a diminuir.

Você pode realizar a meditação sentado, deitado, a orientação é apenas para que a posição escolhida  seja confortável o suficiente para estimular a cabeça a se manter alerta e consciente, sem dormir.

Inicialmente o tempo da prática pode ser de 5 minutos.

Depois, já é possível aumentar gradativamente com a meta de conseguir alcançar um tempo adequado ao seu ritmo de vida e desejo.

O passo seguinte é se manter em mindfulness o tempo todo. Estar presente no momento presente, sempre.

É realmente desafiador, mas se não a gente não conseguir sair de nossa zona de conforto e nos desafiar a evoluir, do que poderíamos nos orgulhar ao escolher a estagnação?

O processo à primeira vista, parece muito complicado especialmente para pessoas que se dizem ansiosas e agitadas, mas o treino constante fará você se sentir mais relaxado e mais consciente de seus processos.

Há diversos artigos que explicam os benefícios da meditação na diminuição de sintomas relacionados à ansiedade e à depressão.

Mas o objetivo deste post é salientar a importância que a meditação  Mindfulness adquire para que estejamos conscientes, isto é atento a como nos percebemos durante vários momentos do dia.

É este exercício que vai facilitar o caminho para o seu autoconhecimento.

Estar no agora e não no ontem, nos livra da perseguição mental de pensamentos destrutivos como “se eu tivesse feito”, “se não tivesse acontecido assim”. Esses pensamentos, além de não contribuírem com nada para resoluções, nos drenam a energia mental.

Se a energia mental está indo para o ralo, nos sentimos esgotados e o cansaço atinge nosso organismo também.

Por outro lado, viver o hoje ao invés do amanhã, que ainda não chegou, é uma maneira emocionalmente mais inteligente porque direciona nossa energia mental positivamente.

Desse jeito, aprendemos a não sobrecarregar nosso sistema com imaginação de situações futuras negativas, simplesmente retornando ao presente sempre que a mente vier com essas “armadilhas” mentais.

Até pelo fato de que o futuro só poder ser como queremos se estivermos fazendo algo a respeito no agora. Como fazer algo concreto no agora, sem estar no agora?
Impossível.

Podemos praticar a atenção plena durante o banho, prestando atenção a cada movimento realizado, ao se esfregar com o sabonete e observar qual a sensação que a  água desperta ao tocar o seu corpo.

O mesmo pode ser feito durante as refeições: preste atenção ao que costuma escolher para alimenta-lo. Pegue pequenas porções e passe um tempo observando a textura, cores e cheiros dos alimentos. Deguste devagar observando o sabor, a temperatura e novamente a textura após mastiga-los e depois engula.

O conceito pode ser ampliado para sua relação com as outras pessoas: procure olhar nos olhos de seu interlocutor, ouvi-lo atentamente e buscar compreender qual a mensagem que ele procura passar. Só assim responda e observe o que esta conversa desperta em você: sentimentos, pensamentos, sensações. Procure diminuir a sua reatividade.

Estar próximo do nosso “eu” a cada momento traz intimidade dos processos internos. Vale a pena realizar anotações diárias das situações vividas e experienciadas enquanto pratica. Mantenha uma meta de prática diária, utilizando a atenção plena enquanto realiza suas atividades diárias.

Isto certamente vai trazer alguns insights interessantes sobre como, por exemplo, você lida com situações de estresse durante o dia, em que situações utiliza a alimentação como forma de “fuga” e quais são as pessoas que você se sente bem de conversar ou de estar próximo.

A prática meditativa diária eleva os níveis de concentração e memória pois deixam a mente mais focada e relaxada.

Cada vez que ela se identifica cada vez menos com os pensamentos que surgem.

Tenha sempre papel e caneta em sua mão para anotar suas experiências após a prática meditativa e durante situações do dia a dia em que você manteve- se focado e atento. Pela minha própria trajetória afirmo que surgem fatos interessantes sobre como somos.

Podemos ter um ano verdadeiramente de realizações e não mais um ano em que as metas ficaram só no papel.

Para isso, comprometa-se consigo mesmo a perseguir suas metas, a realizar sonhos a direcionar a força mental ao que realmente importa e agrega positividade.

Some a isso os benefícios da meditação Mindfulness e esteja pronto para se surpreender com alegria ao encontrar a melhor versão de si mesmo.

Leticia Rodrigues é psicóloga e coach, apaixonada por desenvolvimento humano e acredita que o trabalho é a forma que temos de mudar o mundo, deixando uma marca pessoal. Seu site e blog fala sobre temas como qualidade de vida, desenvolvimento e gestão de carreiras.

Assine nossa Newsletter

Assine a nossa newsletter e faça parte dos nossos 860 assinantes. É prático, gratuito e seguro! Jamais compartilharemos seus dados : )